Fiscais da Adagro ameaçam entrar em greve na próxima segunda; Sindicato diz que problema em Petrolina será “muito sério”

Fiscais Estaduais Agropecuários, Analistas, Assistentes e Auxiliares de Defesa Agropecuária de Pernambuco decidiram entrar em greve a partir do próximo 2 de abril, caso, até lá, o governo do estado não honre o acordo firmado em agosto do ano passado, e não sinalize com o início das negociações de 2018.
De acordo com o dos Servidores da Defesa Agropecuária do Estado de Pernambuco (Sindagro-PE), a categoria da Defesa e Fiscalização Agropecuária acumula quatro anos sem reajustes salariais, apesar de ser um importante partícipe na agropecuária de Pernambuco, principal responsável pelo crescimento do PIB do estado no ano passado, contribuindo com 19%.
A greve deve atingir os 167 pontos da Adagro no estado. Caso isso aconteça, vários serviços serão afetados, entre elas a emissão do Guia de Trânsito Animal (GTA), feiras de gado não poderão ser realizadas, e ainda ocorrerá a interrupção do registro de granjas. Ainda há a inspeção de laticínios, que não deverá ser realizada, sem falar na fiscalização da qualidade das carnes.
Petrolina
Ainda segundo o Sindagro-PE, na região de Petrolina haverá um “problema muito sério” com o desenvolvimento das pragas da frutas. “Porque nós fazemos o monitoramento das moscas-das-frutas, que ataca toda a fruticultura”, disse o presidente do sindicato, Lucíolo Galindo.
Ainda segundo ele, será afetado o serviço de emissão do PTV (permissão de trânsito para vegetais). Esse certificado acompanha a carga e deve ser apresentado nos escritórios da Adagro. Sem o documento, a produção não poderá ser transportada em Pernambuco, nem para outros estados. Sem ele, também é vetada a exportação, o que contribuiria para perdas. O Blog aguarda um posicionamento da Adagro.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar