Pais de criança com doença rara pede ajuda nas redes sociais para fazer tratamento da criança em Salgueiro-PE

David Emanoel da Silva, 03 anos, residente no sítio Baixio da Cacimbinha. Era uma criança saudável, até que ele apresentou fortes dores no pescoço que muito rápido enrijeceu, não move para nenhum lado, foi transferido para o hospital da restauração em Recife, está a oito dias esperando por uma ressonância e nada foi feito.
A mãe, Ana Paula, conta que esse período David está piorando, hoje ele não está andando nem falando, perdeu o tato, não consegui nem comer. Tudo isso aos olhos dos médicos que nada fazem.
Não há um diagnóstico porque nada foi feito. A família está fazendo uma campanha nas redes sociais para arrecadar fundos para uma ressonância particular e um futuro tratamento, a ressonância essa que os médicos lá não permitem que tirem o menino do hospital para fazer em uma clínica paga pela família e simpatizantes do caso
Os pais não sabem o que fazer e estão sofrendo muito, pois são agricultores, e estão impossibilitados de trabalharem, estão acompanhando a criança de hospital em hospital desde que tudo começou. Eles ainda tem uma recém nascida de um mês. E contam com a ajuda de vizinhos para os cuidados com a bebê, enquanto a mãe fica entre idas e vindas do Recife
Davi sente sente muitas dores, chega a fazer xixi nas roupas por não suportar as dores.
Ele precisamos de ajuda e apoio para tratar a doença que é desconhecida.
Precisamos que essa história chegue a muitos ouvidos e mobilizar as equipes da restauração para que se sensibilizem e façam tal procedimento. Ele não pode esperar!
Cada dia que passa a doença se agrava – Quem poder ajudar entrar em contato pelo telefone: 87 99911-6789 falar com Damião pai de Davi. Ou através da conta bancaria: Ag: 0776 Op: 013 Conta: 000.000.065.807-5  Ana Paula Pereira da Silva, mãe de Davi – Caixa Econômica Federal  Antes de qualquer doação ligar para o pai de Davi. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar