Estudantes de Caititu prometem mobilização para impedir possível fechamento de escola estadual

Estudantes da 2ª série do Ensino Médio da Escola Estadual Malaquias Mendes da Silva/Extensão de Caititu, zona rural de Petrolina, se mobilizam contra um possível fechamento do estabelecimento de ensino. Eles estão fazendo um abaixo-assinado e prometem muito barulho junto à imprensa local para evitar que isso ocorra. Uma das estudantes, Luzivânia Souza Maia, já havia alertado, há alguns meses, por meio deste Blog, sobre o fato. Ela conta que a comunidade também pediu apoio de lideranças políticas da cidade.
“Logo após a viralização da matéria no Blog e o vídeo que nós fizemos pedindo ajuda aos políticos, logo vieram dois engenheiros da Prefeitura de Petrolina e a engenheira da GRE (Gerência Regional de Educação) para ver qual era a situação da escola, e resolveram fazer a reforma. Deram o prazo de 60 dias para os alunos ficar na Escola Municipal nossa Senhora aparecida, enquanto eles faziam a reforma da outra escola. Só que, como todos nós sabemos, os dias passam e agora estamos de aviso. Temos apenas 30 dias para ficarmos no prédio do município”, lamenta Luzivânia.
Para ela, a GRE/Submédio do São Francisco não pretende manter a escola em atividade. “A GRE nos enrolou, os dias estão passando. Eles querem que a gente vá para Atalho porque todos nós sabemos que a quantidade de alunos da própria sede é pouca e querem levar a gente para lá. Só que como eles não pensam em nós, alunos. Vamos sofrer muito. Tem aluno que irá percorrer mais de 50 km por dia, alunos deficientes irão desistir, e é possível que professores vão ser demitidos. Vamos começar a falar nas rádios, fazer um abaixo-assinado, até um dia a gente conseguir. E não iremos para Atalho. Vamos fazer greve, seja o que for”, desabafa.
A reportagem entrou em contato com a GRE/Submédio São Francisco, mas foi informada que a gestora do órgão estadual, Professora Anete Ferraz estava cumprindo agenda fora da instituição. O gabinete de Anete comprometeu-se em repassar a demanda, para que ela possa posteriormente esclarecer a questão. Blog do Carlos Britto 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar