Petrolina aponta médio risco para infestação do Aedes aegypti; população deve ficar atenta às formas de prevenção

Os dados do 4º Levantamento Rápido de Índice de Infestação para o Aedes aegypti (LIRAa) 2019 da cidade de Petrolina foram divulgados recentemente. A pesquisa realizada pela Secretaria de Saúde do município aponta 1,8 % para infestação do mosquito, considerado de médio risco. O número de casos da doença no país sofreu aumento de 264%.

A melhor maneira de mudar o cenário local e nacional é com eliminação dos focos de acúmulo de água. “Para isso, é importante não acumular água em latas, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, garrafas, caixas d´água, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros”, orienta a coordenadora do curso de Biomedicina da UNINASSAU Petrolina, Victória Carvalho.

O mosquito é transmissor de três doenças principais: Dengue, Chikungunya e Zika. “São doenças diferentes, mas com sintomas semelhantes, por isso é importante procurar a unidade de saúde para o diagnóstico e tratamento adequado”, pontuou a professora.

Dicas para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

  • Evite acúmulo de água;
  • Coloque tela nas janelas;
  • Coloque areia nos vasos das plantas;
  • Limpe as calhas da casa;
  • Seja consciente e faça o descarte correto do lixo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar