H1N1: secretária-executiva de Vigilância em Saúde de Petrolina afirma não haver motivo para pânico

“Não há motivo para pânico”. É o que afirma a secretária-executiva de Vigilância em Saúde de Petrolina, Marlene Leandro sobre o caso de uma morte suspeita de H1N1, na cidade. A paciente veio a óbito no Hospital Universitário na quinta-feira (6), após ter chegado de viagem.

Segundo Marlene, o quadro da paciente evoluiu para complicações, mas todas as providências foram tomadas, conforme determina o Ministério da Saúde. “Quero dizer a população que não há motivo para pânico. Esse caso foi de uma pessoa que havia viajado para a Paraíba e ao chegar apresentou os sintomas da doença, evolui para complicações”, disse.

A vítima deu entrada no HU no dia 28 de maio e por ser um casos suspeito, todos os parentes próximos foram imunizados. “Foi iniciado a profilaxia para os contatos íntimos, foi realizado no esposo e filhos dessa pessoa o antiviral, o procedimento preconizado”, continuou.

A secretária-executiva afirma que o caso ainda não foi confirmado como H1N1. “Ainda não temos a confirmação do caso. O material foi encaminhado e estamos aguardando esse resultado para confirmação ou não de H1N1″, finaliza.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar