Família desmente boatos envolvendo morte de bebê em Petrolina

A família de um bebê de 8 meses de vida que faleceu no Residencial Nova Vida I, no bairro João de Deus, zona oeste de Petrolina, ontem (20), deu uma versão diferente do que vem sendo divulgado nas redes sociais. Após o ocorrido, surgiram muitos boatos sobre o caso, inclusive um que aponta como suposto homicídio e coloca os pais da criança como possíveis suspeitos. A Polícia Civil (PC) ainda não se pronunciou oficialmente, mas disse que está investigando.

O bebê que faleceu era gêmeo e seu irmão foi encaminhado a um hospital, mas segundo a família, nada tem a ver com o falecimento da outra criança. Segundo o irmão do pai das crianças, Emerson Rodrigues, seu sobrinho morreu por asfixia, quando dormia com os pais. Como o outro bebê estava com um  ferimento na cabeça, devido ele ter batido a cabeça no vidro do carro quando andava com os pais, um dia antes, no sábado (19), Emerson acredita que os boatos surgiram a partir disso.

O bebê morreu por asfixia. Esse boato de homicídio, que o pai e a mãe cometeram algum crime contra ele, não existe. Ela [a mãe das crianças] contou que acordou para fazer o mingau deles e não prestou atenção. Quando retornou, que foi mexer na criança, ela viu que o bebê não estava respirando. Foi nessa hora que ela percebeu que tinha acontecido alguma coisa e o Samu foi acionado”, explica o tio das crianças. “Eles já acordaram com a criança morta. Esse caso de homicídio, de violência, não existe. Eles são pais muito amorosos. Não compartilhem notícias falsas”, clamou Emerson.

Outra versão divulgada em grupos na internet é que os pais das crianças seriam adolescentes. Emerson disse que eles são adultos e estão muito abalados, sem condições emocionais para conceder entrevista. “Eu posso falar, com firmeza, que eles não iriam fazer nenhum mal aos seus filhos. A criança que foi encaminhada ao hospital passou por uma averiguação e foi liberada, está em casa, não tem nenhum indício com ela”, finaliza o tio das crianças, sem dar detalhes do velório do bebê. A matéria completa sobre o caso você confere amanhã, a partir das 7h, no Programa Carlos Britto, na Rural FM.

 

Fonte Blog do Carlos Britto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar