Petrolina (PE) Homem acusa policiais do 2ºBiesp por agressão no bairro Vila Eulália

O trabalhador Willian Gomes da Silva Souza, 23 anos, morador do bairro Vila Eulália em Petrolina (PE), afirma que foi  agredido injustamente por policiais do 2ºBiesp  na noite da última segunda-feira (06).

O jovem salienta que havia concluído o expediente no estabelecimento de acarajé de sua esposa  e  retornava num carro, para casa, na companhia de um colega, quando uma viatura da instituição de segurança seguiu o veículo  até a porta de sua residência.

Willian, que também exerce a profissão de segurança e vigilante,  afirmou que na abordagem foi destratado verbalmente pelo efetivo e preferiu entrar para dentro de casa, conforme seu colega orientou. Ele disse também que a polícia, mesmo sem ordem judicial,  invadiu sua residência usando da força para retirá-lo e que ele  precisou se defender revidando a agressão, mas que teria sido imobilizado dentro da sala da casa e recebeu pelo menos quatro  coronhadas de 12 na cabeça, a última teria provocado um desmaio.

O jovem afirmou para a redação do Blog Edenevaldo Alves que o efetivo procurou algum material ilícito em sua residência  para incriminá-lo e que não teria encontrado. Entretanto acabou apreendendo um colete, algema e  tonfa – equipamentos utilizados por Willian em seus dois empregos temporários  de  segurança e vigilante. “reviraram a casa toda e pegaram até uma faca quebrada que estava junto com umas ferramentas minhas”, lamentou.

O trabalhador salientou que foi colocado na viatura e que a caminho da delegacia a polícia teria desviado o trajeto levando-o para um outro lugar. Ele afirma que no local desconhecido teria sido agredido novamente por cerca de cinco minutos e só após o efetivo seguiu para a delegacia, depois para o Hospital Universitário – por conta dos ferimentos – e em seguida retornou para a unidade policial.

Willian  passou por exame de corpo de delito Ee foi e liberado juntamente com o colega apenas na manhã da terça-feira (07). A  família afirma que levará o caso para a justiça.

 

Fonte: Blog Edenevaldo Alves

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar