Roubos em Pernambuco ficam no menor patamar em 8 anos

No quinto mês de 2020, foram notificados 54,9% menos crimes contra o patrimônio: de 7.457 queixas, em maio de 2019, caiu para 3.360. É o índice mais baixo dos últimos 93 meses, atrás apenas de agosto de 2012 (3.351). Entre janeiro e maio, os números reduziram-se em 31,85% no Estado em relação a igual período em 2019. Já são 33 meses consecutivos de retração, a maior série já anotada. O Recife se destacou, com uma queda de 63,19%. A diminuição se deu em todas as modalidades criminosas

Os Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) caíram 54,9% em maio de 2020, no comparativo com o mês correspondente em 2019, no Estado de Pernambuco. A redução exata foi de 7.457 casos para 3.360. Assim, o mês passado foi o 33º seguido de diminuição, quando se compara com o período equivalente do ano anterior. Trata-se da maior sequência de queda sucessiva nos índices desse tipo de crime no Estado. Comparando o intervalo entre setembro de 2017 e maio de 2020 com o período de 33 meses imediatamente anterior (de setembro de 2016 a maio de 2019), houve 58.146 menos roubos.

Repetindo o que aconteceu em abril, o Recife continua sendo a região de Pernambuco onde mais os crimes contra o patrimônio têm recuado. A queda em maio foi de 63,19%, tendo passado de 2.825 ocorrências para 1.040. A capital pernambucana também demonstrou a redução mais significativa no total dos cinco meses iniciais de 2020, na comparação com igual período de 2019. Como as queixas de roubo baixaram de 13.272 para 8.049, a diferença foi de -39,35%.

Seguindo a tendência da capital, os municípios da Região Metropolitana (RMR) observaram um recuo da criminalidade a quase a metade em maio. Houve 1.104 denúncias por roubo no mês passado, contra as 2.187 de maio de 2019 (-49,52%). No total do comparativo entre os cinco meses, chegaram a -28,9% por sair de 11.050 para 7.857 notificações. No Agreste, redução de 53,79% em maio e 25,58% do primeiro ao quinto mês. Os índices retraíram-se, respectivamente, de 1.452 para 671 e de 6.305 para 4.692.

Redução de mais de 50% também no Sertão, onde maio terminou com 155 ocorrências de CVP, contra as 317 desse mês em 2019 (-51,1%). A soma dos roubos computados desde janeiro levou a um recuo de 26,38% (de 1.827 para 1.345). Por seu turno, a Zona da Mata alcançou -42,31% crimes contra o patrimônio no confronto entre maio de 2020 e 2019: de 676 para 390 queixas em delegacias. Quando se trata do total dos cinco meses, essa região atingiu -26,51%, porque as ocorrências baixaram de 3.297 para 2.423.

O reforço das operações ordinárias de combate aos CVPs e a realização da Operação Quarentena, que levou mais de 1.600 policiais e bombeiros por dia às ruas da RMR, contribuíram para esse cenário, avalia o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antonio de Pádua. “Além do isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19, o incremento da presença do efetivo nas ruas, com blitzes diárias e fiscalizações, foi decisivo para manter essa queda dos crimes contra o patrimônio. Mesmo antes da quarentena, esses números já vinham recuando sistematicamente, tanto é que atingimos a marca inédita de 33 meses consecutivos de reduções mensais nesse tipo de crime. Isso não quer dizer que as forças de segurança pública irão se acomodar, pelo contrário: esse resultado incentiva ainda mais as operativas da SDS a seguir firme no enfrentamento à criminalidade. Não há o que comemorar enquanto a violência ainda fizer vítimas“, adverte.

ÁREAS DO RECIFE CHEGAM A PATAMAR MAIS BAIXO DA SÉRIE HISTÓRICA – Iniciada em 2011, a atual metodologia de registro dos CVPs em Pernambuco mostra que três Áreas Integradas de Segurança (AIS) da capital do Estado atingiram seu menor quantitativo de roubos em maio de 2020. As AIS 1 (bairro de Santo Amaro e região), 2 (Espinheiro e região) e 3 (Boa Viagem e outros bairros da Zona Sul) tiveram o menor número de ocorrências da série histórica: respectivamente, 146, 179 e 235 queixas.

MAIO TEM MAIOR APREENSÃO DE ARMAS DO ANO – O último mês alcançou o recorde de armas apreendidas este ano pelos profissionais de segurança pública em Pernambuco. Foram 580, totalizando 2.369 em 2020. Também foi o maior quantitativo mensal do ano no número de prisões em flagrante (3.649 das 16.914 efetuadas no ano) e em ocorrências de tráfico de drogas (687 do total de 2.722).

ROUBO DE CELULAR CAI EM QUASE 30% NO ANO – Se entre janeiro e maio de 2019 as delegacias de Pernambuco tinham recebido 14.256 denúncias de roubo de celulares, no período equivalente deste ano essa modalidade de CVP retrocedeu em 28,8%. Foram 10.145 crimes do tipo nesse intervalo em 2020. Especificamente em maio, a variação se deu de maneira mais intensa, com -54% (de 2.986 para 1.375). Essas reduções vêm se acentuando desde março de 2017, quando a SDS implantou o programa Alerta Celular, que permite alertar à polícia sobre o roubo desses aparelhos. Até maio último, mais de 22 mil telefones com registro de roubo haviam sido apreendidos pelas forças de segurança pública.

MENOS INVESTIDAS CONTRA ÔNIBUS EM MAIO – A intensificação da presença da segurança no transporte público – a exemplo das Operações TI, Transporte Seguro e Quarentena – levou maio de 2020 a contabilizar -24,66% roubos a coletivos que o seu correspondente em 2019. Em números absolutos, passou de 73 para 55 casos. No total do ano, o saldo é de subida de 17,76% (de 321 para 378 ocorrências).

CASOS DE ROUBO DE VEÍCULOS SÃO 43,8% MENOS FREQUENTES EM MAIO – Pernambuco verificou que as queixas por roubo de veículos recuaram no quinto mês deste ano em comparação com o de 2019. Saíram de 1.255 ocorrências para 705, o que significa menos 550 veículos subtraídos de forma violenta. A análise dos dados do primeiro ao quinto mês aponta uma queda de 17,08%, já que o total de ocorrências diminuiu de 5.452 para 4.521.

ROUBOS E FURTOS A BANCOS E SIMILARES DIMINUEM 25% DE JANEIRO A MAIO – As investidas consumadas a agências bancárias, terminais de autoatendimento e veículos de transporte de valores chegaram a 9 este ano, 25% a menos do que nesse ínterim no ano passado. Saíram de 12 para 9 casos. Nesse tempo, as polícias de Pernambuco conseguiram prender 23 pessoas acusadas de praticar essa modalidade criminosa. Em análise individual de maio, três agências bancárias acabaram alvo de criminosos, contra uma no quinto mês de 2019.

OPERAÇÕES PERMANENTES REDUZEM CRIMINALIDADE – As três operações da segurança pública que cobrem áreas específicas da capital pernambucana seguem contribuindo para baixar os índices de CVP no Estado. Somente a Operação Agamenon Magalhães chegou a -65,4%, com uma diferença de 306 para 106 queixas de roubo entre janeiro e maio de 2020 (comparado com o período em 2019). Nesse mesmo confronto estatístico, a Operação Boa Viagem fez a Zona Sul do Recife ter -49,3% CVPs (de 1.300 para 659). Já no Centro da cidade, a Operação Cerne alcançou a marca de -43% ao fazer o índice cair de 1.664 para 948 roubos.

 

Fonte: SDS-PE

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar