Bebê morre ainda na barriga da mãe e família denuncia atendimento no HDM/Imip; Unidade responde

Na manhã desta terça-feira (17) o relato emocionado de Edvania Ribeiro Silva, mãe da gestante Aline Lopes Ribeiro, de 18 anos, revelou a dor de uma família com a perda de um bebê ainda na barriga de Aline. Edvania denunciou o atendimento prestado pelo Hospital Dom Malan (HDM/Imip) em Petrolina, à sua filha em sua primeira gravidez.

“Minha filha estava com 39 semanas de gestação. Foi na sexta-feira sentindo dor com 3cm de dilatação, chegando lá só aplicaram uma injeção de Buscopan e botaram ela pra casa. Chegou em casa, 1 hora da madrugada ela não dormiu. No sábado, passou a noite sentindo dor também. Aí nós fomos lá [Hospital], umas cinco e pouca da tarde, só aplicaram a medicação de novo e colocaram ela pra casa porque estava com 3 cm de dilatação, não era trabalho de parto. Voltamos pra casa 7 horas da noite do sábado, não deu tempo nem chegar em casa, as dores dela aumentaram mais ainda. Chegamos no hospital de novo, só 3 cm de dilatação, não dilatava para ela ter o bebê normal. A pressão dela estava alta, foi isso que eles deixaram ela em observação, não internaram ela. Ficou a noite todinha do sábado”, explicou Edvania à reportagem do programa Carlos Britto, na Rural FM.

A partir daí, a mãe conta que o desespero começou. No domingo (15), a equipe médica do hospital queria liberar a gestante. “De manhã queriam liberar ela de novo. Eu disse que minha filha não sai daqui do hospital de jeito nenhum sentindo dor, ela vai ficar aqui”, contou. E por volta da meia noite do domingo, o pior aconteceu. “Quando elas foram ouvir o coração do bebê, não ouviram mais”, contou Edvania aos prantos.

A mãe contou ainda à reportagem que o pré-natal foi seguido à risca pela filha e que o bebê estava saudável e bem. “Os nove meses ela não passou um mês sem fazer  pré-natal, sem fazer exame. Todas as consultas dela estavam tudo ok. Ela estava esperando apenas a bebê nascer. Ansiosa, doida para pegar a filha no colo e a gente também”, explicou. A família de Aline acredita que a demora no atendimento causou o falecimento da criança. A retirada do feto foi feita na manhã da segunda (16).

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Hospital Dom Malan, que enviou a seguinte nota:

A direção do Hospital Dom Malan informa que a paciente Aline Lopes passou por um procedimento cirúrgico no fim da manhã, desta segunda-feira (16/11), para retirada do feto. Ela encontra-se com quadro de saúde estável e está recebendo todo o suporte multiprofissional necessário, incluindo amparo psicológico.

Esclarece ainda que, ao ser avaliada pelas equipes de plantão, tanto a gestante quanto o feto apresentavam quadro de saúde estável, sem nenhum tipo de intercorrência, por isso, ao ser internada, na manhã deste domingo (15/11), a orientação médica foi seguir o protocolo de parto normal.

Por fim, a direção do Hospital Dom Malan se solidariza com a paciente e seu familiares neste momento de dor e se coloca à disposição para prestar qualquer tipo de esclarecimentos.

 

Fonte: Blog do Carlos Britto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar